1

Análises da offseason: New Orleans Hornets



Caso ainda não tenha visto, confira as análises da offseason dos times abaixo:

 Boston CelticsBrooklyn Nets New York Knicks Philadelphia 76ers Toronto RaptorsChicago BullsCleveland Cavaliers Detroit PistonsIndiana Pacers  
Milwaukee Bucks Atlanta Hawks Charlotte Bobcats Miami HeatOrlando MagicWashington Wizards


Principais aquisições: Ryan Anderson, Hakim Warrick, Robin Lopez, Roger Mason, Anthony Davis (draft), Austin Rivers (draft), Darius Miller (draft)
Principais perdas: Jarrett Jack, Carl Landry, Chris Kaman, Gustavo Ayon

No primeiro ano após a saída de Chris Paul, o foco do Hornets voltou-se à construção de uma nova base para voltar a ter um time competitivo em alguns anos. A primeira temporada dessa nova era foi muito difícil, com a equipe tendo uma das piores campanhas da NBA. Apesar disso, o time treinado por Monty Williams impressionou por ser competitivo mesmo com um elenco limitadíssimo. Diferentemente de outras equipes, o Hornets jogou para ganhar até o final da temporada, chegando até a bater adversários que brigavam por vaga nos playoffs nas últimas semanas de abril.

O prêmio para um desempenho tão digno acabou vindo na loteria do draft. Com apenas a quinta melhor chance de ganhar a primeira escolha, o Hornets tirou a sorte grande. E foi assim que as perspectivas da franquia mudaram completamente.

Com a primeira escolha, o time da Louisiana selecionou o ala-pivô Anthony Davis, visto como uma das melhores revelações dos últimos anos a surgir no basquete universitário americano. Jogando pela Universidade de Kentucky, Davis mostrou ser um incrível reboteiro, exibindo também impressionante capacidade de bloquear arremessos. Na NBA, ele promete ser um daqueles jogadores capazes de dominar um jogo mesmo sem pontuar muito. E isso não significa que seu jogo ofensivo será fraco. Davis tem incrível capacidade atlética e vai empolgar a torcida do Hornets com suas enterradas. Além disso, ele tem um bom arremesso de média distância que só deve melhorar ao longo dos anos. Resumindo: ele tem tudo para ser muito, muito bom, e a expectativa é de que o jogador tenha grande impacto já em sua primeira temporada na liga.

(Nenhum arremesso está seguro com Anthony Davis em quadra)

Ainda no draft, o Hornets escolheu o ala-armador Austin Rivers. Conhecido por sua ótima habilidade no mano a mano, Rivers tem muito potencial ofensivo. A ideia da equipe é utilizá-lo como armador. Pelo menos até o momento, o filho do técnico Doc Rivers ainda não mostrou as qualidades esperadas de um jogador nessa posição, mas a franquia acredita que ele pode se adaptar. No 2º round, a equipe ainda selecionou o ala Darius Miller, que dificilmente terá muitas oportunidades como novato.

Outra transação importante da offseason foi a renovação de Eric Gordon. O ala-armador recebeu uma oferta do Suns pelo salário máximo; no entanto, como o jogador era agente livre restrito, o Hornets tinha direito de bancar a oferta, e foi exatamente isso que aconteceu.

Para jogar ao lado de Davis, a aquisição foi Ryan Anderson, obtido por meio de uma sign-and-trade com o Magic, que recebeu em troca o ala-pivô mexicano Gustavo Ayon. Anderson é o típico "stretch 4", aquele ala-pivô com bom arremesso de longa distância que ajuda a "abrir" a quadra para os demais jogadores. Seu arremesso de três pontos é um dos melhores da NBA, e ele é um dos poucos jogadores capazes de arremessar muito de longa distância e manter um aproveitamento alto. Anderson parece ser um bom complemento para o jogo de Davis, pelo menos no que diz respeito ao ataque.

Para a defesa, a contratação foi o pivô Robin Lopez, ex-Suns. Lopez, um bom defensor com um estilo um tanto desajeitado, será uma boa alternativa para quando o Hornets quiser utilizar Davis na posição 4 – algo que deverá acontecer bastante em suas primeiras temporadas, considerando seu corpo franzino. Hakim Warrick – que também fez parte da transação que colocou Lopez no Hornets – e Roger Mason complementam o elenco.

Em uma offseason, o Hornets conseguiu mudar completamente o seu panorama. É claro, muito disso só foi possível por pura sorte. No entanto, as boas contratações que vieram depois são mérito do comando da equipe. Talvez os playoffs ainda estejam um pouco além do alcance da franquia na próxima temporada, mas parece ser questão de tempo para o Hornets passar a ser uma das principais forças do Oeste.

(Ninguém fala dele, mas Jason Smith é um dos melhores arremessadores de média distância da NBA)

Rotação:*

PG: Austin Rivers / Greivis Vasquez
SG: Eric Gordon / Xavier Henry
SF: Al-Farouq Aminu / Roger Mason / Darius Miller
PF: Ryan Anderson / Jason Smith / Hakim Warrick
C: Anthony Davis / Robin Lopez

* Nem todos os jogadores aparecem em suas posições exatas. Vários deles atuarão em mais de uma posição ao longo dos jogos e da temporada.

Amanhã: San Antonio Spurs



Marcadores: ,



1 comentário

  1. Unknown says:

    Excelente análise. Meus parabéns!

Deixe seu comentário